Queda da Taxa SELIC: Por que agora é o melhor momento para comprar?

Compartilhar:

Logo do Facebook Logo do Linkedin Logo do WhatsApp

Há um tempo atrás, fizemos um post mostrando que, com a Taxa SELIC estando no menor patamar da história de 3% ao ano, seria um ótimo momento para financiar o seu imóvel. Acontece que há algumas semanas o COPOM decidiu diminuir ainda mais a taxa, caindo para 2,25% ao ano. Tudo que dissemos no último post ainda pode ser seguido, no entanto, queremos reforçar dois pontos que, com essa nova baixa na taxa SELIC, mostram que agora é o melhor momento para comprar seu imóvel.

Queda nas Taxas de Juros

A taxa SELIC serve de base para o cálculo de algumas taxas de juros praticadas no mercado. Isso significa que sua variação impacta diretamente nos juros cobrados em empréstimos, financiamentos, entre outras modalidades. 

Apesar disso, a primeira queda da SELIC para 3% não motivou grandes alterações nas taxas de juros do mercado, que já se encontravam em um valor consideravelmente baixo em relação ao histórico praticado. No entanto, com a queda para 2,25%, no fim de Junho, o Santander anunciou uma diminuição na taxa de juros de crédito imobiliário de 7,99% ao ano (mais Taxa Referencial) para 6,99% ano (+ TR), se tornando o banco com a menor taxa de juros do segmento.

Para contratar o crédito é preciso ser cliente pessoa física do banco, e o pagamento pode ser realizado em até 35 anos pelo Sistema de Amortizações Constantes (SAC), onde as parcelas vão diminuindo com o passar do tempo.

Tais atualizações impactam não só as pessoas que ainda pretendem comprar um imóvel por financiamento a partir de agora, mas também os compradores que já tem um financiamento contratado. O cenário econômico atual viabiliza a renegociação desses contratos de financiamento. Se quiser saber mais, fizemos um post dando dicas de como renegociar o seu financiamento com o banco.

Juros Reais Negativos em Investimentos de Renda Fixa

A Taxa SELIC endereça também a rentabilidade de investimentos de Renda Fixa, como Poupança, Títulos do Tesouro Direto e CDB por exemplo. Com a queda para 2,25%, muitos desses investimentos passam a ter juros reais negativos, ou seja, ao considerar a perda do valor do dinheiro causada pela inflação, no vencimento desses investimentos, a pessoa terá menos poder de compra do que tinha no início do processo.

Grande parcela do público investidor brasileiro opta por investir em Renda Fixa por conta do seu baixo risco. Contudo, por conta do baixo rendimento observado atualmente, os investidores se vêem obrigados a buscar outras alternativas de investimento e alocação do seu dinheiro.

É nesse cenário que comprar um imóvel com o objetivo de investir se torna extremamente atrativo. Ao manter o hábito saudável de possuir uma carteira de investimento bem diversificada, com aportes em várias modalidades de investimento, a compra de um imóvel se mostra um investimento seguro e muito rentável, principalmente ao investir em um imóvel em uma região e com características que mostram uma tendência de valorização com o passar do tempo. A partir disso, o retorno do investimento pode ser obtido através do aluguel desse imóvel, que em alguns casos, pode corresponder à 5% do valor do imóvel por ano, ou até mesmo pela venda dele após algum tempo

Esses dois são alguns dos indícios que mostram que atualmente é um dos melhores momentos para realizar a compra do seu imóvel, com o cenário atual, o mercado vem se adequando para suprir as suas necessidades e as dos clientes, por isso, vale ficar de olho para ver se alguma novidade aparece e facilita ainda mais o processo de compra de imóveis. 

Pintou mais alguma dúvida? Quer aproveitar o cenário atual para comprar o seu imóvel? Converse com um de nossos especialistas e inicie sua busca pelos nossos imóveis!

Onde você quer morar?

Conheça nossas casas e apartamentos à venda no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Encontrar imóveis