Comprar um imóvel para alugar agora rende mais do que investir em aplicações bancárias. Entenda por quê.

Compartilhar:

Logo do Facebook Logo do Linkedin Logo do WhatsApp
mercado-imobiliario1

Com a queda histórica na taxa Selic a 2%, investir na compra de um imóvel para alugá-lo, se tornou uma ótima opção de investimento.

Ótimo momento para investir no mercado imobiliário

O mercado imobiliário passou por mudanças durante o ano de 2020, trazendo vantagens para quem está buscando um imóvel para investir. 

Devido à queda da taxa Selic para 2% desde setembro, as taxas de rendimento das aplicações bancárias básicas também caíram. Com isso, o cenário atual mostra que a rentabilidade do aluguel tende a ser mais vantajosa.

Desde novembro de 2019, comprar um imóvel para alugar no Brasil rende mais que uma aplicação bancária básica. No início, a diferença de rendimentos era mínima, mas no final de 2020, chegamos a uma diferença de cerca de 2,5 vezes maior.

O que mudou no mercado imobiliário e as tendências para 2021

Já escrevemos sobre as principais mudanças no mercado imobiliário, veja a matéria mais detalhada aqui. Mas, em resumo, o principal fator para as mudanças no segmento, foi a queda na taxa Selic.

Desde a crise econômica, que atingiu seu auge em 2015, a Selic vem performando em queda constante, caindo de 14,25% em 2016, para 2% em 2020. Em 2021, há motivos para acreditar que a Selic não sofrerá grandes alterações, então, podemos prever uma tendência de crescimento do mercado imobiliário.

A queda da taxa Selic e o seu impacto no mercado imobiliário

A taxa Selic é um sistema do Banco Central que define a taxa básica de juros do país. Ela é utilizada para controlar a inflação, o índice que apresenta o aumento de preços de bens e serviços do país. Isso significa que a sua variação interfere diretamente nas linhas de crédito e no consumo da população brasileira. 

Como assim?

Se a taxa Selic aumenta:

Se a taxa Selic diminui:

Ou seja, a queda na taxa Selic atual, deixou o crédito mais acessível e diminui as taxas de juros dos financiamentos. 

Estamos presenciando o menor valor da taxa Selic, desde 1997, quando vivemos a menor taxa já vista (1%) no Brasil. Desde essa época, já chegamos a uma taxa Selic de 26,3%. Em 2020, iniciamos o ano com uma taxa Selic de 4,5%, e estamos encerrando dezembro com 2% ao ano. 

Por isso, esse é um momento histórico e uma grande oportunidade para aquisição de um imóvel, devido ao impacto da Selic nas taxas de juros dos bancos, que foram de uma média de 9% no início de janeiro, para 7% no fim de novembro.

E para quem investe ou está querendo investir: Comprar um imóvel para alugar rende mais do que outras aplicações bancárias?

Comprar um imóvel novo, para morar ou para investir, se tornou ainda mais viável no contexto econômico atual. 

As formas de adquirir um imóvel são inúmeras, como por exemplo o financiamento bancário ou uso do valor acumulado no FGTS. Se quiser saber mais sobre isso, escrevemos uma matéria sobre como se planejar para a compra de um imóvel e sobre os cuidados que você precisa ter antes da compra.

A rentabilidade do aluguel é calculada ao se dividir o preço do aluguel pelo valor total do imóvel. Atualmente, a rentabilidade média de um imóvel alugado é de 0,40%. Enquanto o rendimento médio de uma aplicação bancária básica é de 0,16%. 

Portanto, se você possui dinheiro disponível para investir na compra de um imóvel nesse momento, levando em consideração a baixa da Selic, a rentabilidade de um aluguel te oferecerá um retorno financeiro superior à uma aplicação bancária básica. 

Uma última alternativa, para quem não possui um grande valor disponível para investir em um imóvel, seria investir em fundos imobiliários. Eles possuem uma rentabilidade de 0,79% até 1% ao mês e não sofrem descontos de rendimento no Imposto de Renda.

O que você precisa avaliar antes de comprar um imóvel para alugar

  1. Verifique a localização do imóvel  

Se pergunte, essa região pode valorizar com o tempo? O que existe na região que pode valorizar esse imóvel? Há algum lançamento previsto (shopping, padaria, hospital), ou novas construções programadas?

  1. Vantagens e benefícios para o morador 

Quais são os benefícios para quem for viver neste imóvel? Ele possui estacionamento, portaria 24h, área de lazer, academia, elevador, salão de festa? E no bairro?! Há farmácia, padaria, mercado, feira, bancos, escolas, faculdades, shopping ou comércio, por perto?

  1.  Acessibilidade básica e locais de fácil acesso –

A rua é acessível para PCD? É fácil chegar e sair do imóvel de carro, a pé, de bicicleta ou transporte público? Existem avenidas ou vias de acesso importantes perto do imóvel? É possível realizar atividades rotineiras a pé pela região?

  1. Metragem e distribuição dos cômodos  –

Qual é a área construída deste imóvel? Quantos cômodos ele possui? Para quem ele se destina? Tem disposição e tamanho que condizem com o público que se interessa em alugar na região?

  1. Documentação, financiamento, taxa de juros a longo prazo, valor de entrada e outras taxas – 

Quais são os outros custos envolvidos neste imóvel? Qual é o valor do IPTU e do condomínio? Ele já está regularizado? Se não, quais são as taxas e período que você deve considerar para a regularização? 

As respostas dessas perguntas devem te auxiliar a tomar a decisão certa para o seu momento e bolso. Avalie todas as possibilidades e encontre o imóvel certo para você.

E aí? Gostou do que leu? Envie suas dúvidas para marketing@emcasa.com e as usaremos para criar mais conteúdos. 

E você já sabe: Na hora de comprar ou vender seu imóvel, conte com a EmCasa e com o nosso time de especialistas. Estamos revolucionando a experiência do mercado imobiliário, com informação, ajuda e respeito ao cliente, desde o momento da busca por um novo imóvel, até a entrega das chaves.

Onde você quer morar?

Conheça nossas casas e apartamentos à venda no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Encontrar imóveis