Como renegociar a sua dívida de financiamento com o banco

Compartilhar:

Logo do Facebook Logo do Linkedin Logo do WhatsApp
Renegociando financiamento

Muitas situações podem acontecer durante o período de pagamento do financiamento de um imóvel. Algumas delas podem dificultar o pagamento das parcelas nas condições previstas inicialmente.

Uma situação que pode afetar um grande número de pessoas é a recessão da economia. Essa contração na economia pode ocasionar em diminuição da renda, desemprego, falência, entre outros fatores que podem complicar a vida de quem está dentro de um financiamento.

Por outro lado, tempos como esse geralmente implicam em uma política econômica de estímulo, como vem acontecendo atualmente. Um dos instrumentos que o governo utiliza para estimular a economia é a redução da taxa de juros (SELIC). Essa tem como objetivo incentivar o consumo, por meio da diminuição do custo de se tomar o dinheiro emprestado.  

Sendo assim, em tempos em que a taxa de juros está no menor patamar histórico (3% ao ano), fazem surgir oportunidades melhores de renegociar as dívidas, no caso, o financiamento imobiliário.

Vamos falar um pouco de alguns tipos de renegociação imobiliária que existem.

Renegociar com o próprio banco

A primeira alternativa para renegociar o financiamento do imóvel é renegociar a dívida com o mesmo banco que está em negociação. Em tempos de recessão econômica, muitos bancos se tornam mais flexíveis para negociar as dívidas. Alguns até viabilizam algum tipo de carência para que o débito possa ser quitado. Importante lembrar que a renegociação deve ser especificada em contrato, portanto, a validade dos termos da renegociação sobrepõem aos termos do primeiro contrato

Outra alternativa de renegociação, ainda envolvendo o próprio banco, é renegociar o prazo do financiamento, solicitando um período maior. Dessa maneira, as parcelas terão um valor menor, mas proporcional ao saldo devedor.

Uma terceira forma de atuar com o próprio banco é tentar utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O FGTS é usado para pagar uma parte do valor, mas o prazo continua e o mesmo. Outro modo de usar os recursos do fundo de garantia para renegociar financiamento de imóvel é pagar parte das parcelas do financiamento. 

Portabilidade

Muitas pessoas não sabem, mas é possível trocar o financiamento imobiliário de um banco para outro por meio de portabilidade. Geralmente, ao procurar pela portabilidade, o tomador do empréstimo busca taxa de juros mais atrativas em outras instituições financeiras. 

É importante frisar que a portabilidade é um direito do devedor, sendo permitida sempre que ele julgar necessário. Outro ponto é a possibilidade de fazer a portabilidade de crédito imobiliário quantas vezes quiser.  Essas condições estão previstas em lei — Lei de Portabilidade do Crédito Imobiliário.

Entretanto, não é possível estender o prazo ou diminuir o valor financiado e além disso, existem algumas despesas para realizar o processo de portabilidade.

É importante seguir algumas recomendações durante o processo como, pesquisar em outras instituições financeiras pela melhor taxa, comparar com o custo efetivo total do financiamento e questionar se há outros custos embutidos.

Prorrogação de dívidas 

Devido à pandemia causada pelo coronavírus, os principais bancos do país já confirmaram medidas de prorrogação de dívidas a seus clientes. São pessoas e empresas que não serão considerados inadimplentes caso façam isso. Em todos os bancos, entretanto, a prorrogação não é automática e o indivíduo deve entrar em contato antes para fazer a negociação.

As condições variam conforme a instituição, e no geral, dão carência de pelo menos 60 dias nas parcelas, mas exigem que os pagamentos estejam em dia ou com atrasos muito pequenos. Em todos os casos, as prorrogações estão sujeitas a aprovação do banco.

Essas são algumas maneiras de renegociar o seu financiamento com o banco. Primeiro sugerirmos tentar alterações com o próprio banco, mas se não for possível, existe a possibilidade da portabilidade, que é a transferência da dívida para outro banco. Sendo assim, é importante sempre buscar melhores taxas e se ater a eventuais custos alternativos.

Onde você quer morar?

Conheça nossas casas e apartamentos à venda no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Encontrar imóveis