Traumas na transação: como manter a calma durante a compra de um imóvel

Compartilhar:

Logo do Facebook Logo do Linkedin Logo do WhatsApp
compradora frustrada

Todo mundo já passou por algum momento da vida onde as coisas não aconteceram da maneira que planejamos. As vezes tudo parece dar tão errado que acabamos fazendo escolhas precipitadas ou até mesmo desistindo dos nossos planos, mas isso nem sempre precisa ser assim.

Hoje vamos contar a história de uma de nossas compradoras, que após passar por problemas dignos de ficção na sua jornada de compra, terminou com lindo imóvel pra chamar de seu e começar um novo capítulo.

Em Maio de 2019, após um problema com o seu táxi, nossa especialista de vendas chegou no Pacaembu para realizar uma visita juntamente com a compradora. O apartamento estava situado no primeiro andar de um prédio baixo, antigo e cercado por grandes árvores. Uma delas alcançava o grande janelão da sala do imóvel.

O apartamento era grande, charmoso e estava próximo a casa que a compradora morou com os pais quando criança, porém, ele também tinha suas fraquezas.

Infiltrações, paredes mofadas, janelas travadas, quartos pichados pela proprietária, além de fazer parte da área interditada em dias de jogos eram algumas delas. Fraquezas essas que fizeram outros interessados desistir do imóvel, mas ainda assim, a compradora insistia em dizer que já gostava do prédio há tempos e que gostaria de fazer uma proposta.

A compradora era uma jornalista e estava em um processo difícil de divórcio. O marido vendeu o apartamento em que moravam juntos e exigiu que ela saísse do imóvel o mais rápido possível. Era perceptível o quanto aquela situação a chateava e a tamanho da importância que esse novo apartamento teria.

Após a visita, a compradora voltou pra casa e realizou sua proposta. O vendedor, em um tom completamente agressivo, disse que não aceitaria tal proposta e só fecharia a venda se a compradora aumentasse em mais R$60.000 a sua oferta, além de exigir um tempo maior do que foi sugerido para a desocupar o imóvel.

Tal resposta foi encaminhada à compradora, que por conta da paixão que tinha criado pelo imóvel e também pelo momento delicado em que se encontrava, pediu uma revisita com a mãe, para que ela pudesse ajudá-la na decisão. Algum tempo após a visita, a compradora decidiu aceitar os termos do vendedor. 

O vendedor, ao perceber que a compradora estava disposta a pagar mais pelo apartamento, exigiu que a oferta subisse mais R$40.000, além de dizer que, com o objetivo de criar um vínculo com a compradora, gostaria de marcar um almoço, pois não gostaria de vender o imóvel para uma pessoa que não conhecia e que havia visitado o imóvel apenas uma vez – o que não era verdade.  

Todos esses sinais indicavam que o vendedor não estava realmente preparado para vender o seu imóvel e nosso time então aconselhou e passou essa percepção para a compradora. Porém, mesmo assim ela insistiu que queria o apartamento e o acordo entre as partes foi fechado, sendo agendada uma reunião para a assinatura da promessa de compra e venda.

A compradora, que ia viajar no dia seguinte à reunião de assinatura para comemorar a venda, chegou no horário combinado, assinou toda a documentação e programou uma transferência que serviria de sinal de compra para a conta do vendedor. O mesmo, após chegar com um atraso de aproximadamente 4 horas, nos informou que não iria assinar antes de enviar a documentação para a sua tabeliã analisar, documentação essa que ele colocou no bolso após dobrá-la.

A compradora ficou desolada ao saber do acontecimento e juntamente com toda a situação de divórcio que ela estava inserida, disse que não tinha mais estrutura emocional para realizar a transação. Nossa especialista, ao se solidarizar com a situação, disse à compradora que quando estivesse de volta da viagem, desse uma chance para que ela pudesse mostrar outras ótimas oportunidades que com certeza fariam a compradora mais feliz. 

Após alguns imóveis enviados, a compradora selecionou 3 que lhe agradaram. Porém, as visitas para eles, que já haviam sido agendadas, precisaram ser adiadas pois um amigo da compradora havia falecido. 

Dentre os 3 imóveis, um deles se encontrava em Perdizes, era muito bem localizado, em um prédio antigo, andar alto com uma vista maravilhosa para um pequeno conjunto particular de árvores em uma propriedade, mas o principal detalhe era um feixe de luz do sol, que entrava pela janela e alegrava a sala. 

Apesar de todo esse clima mágico que o apartamento proporcionava, a compradora ainda estava muito chateada com todos os acontecimentos e diante de todos eles, dizia que já não tinha mais certeza se deveria realizar a compra.

Foi nesse momento que nossa especialista, por ter participado de toda a jornada da compradora, disse que a vida tem maneiras muito sutis de passar seus ensinamentos e que ela deveria se considerar grata pela transação do primeiro imóvel não ter acontecido e de ter encontrado outro que fez mudar completamente a sua expressão após conhecê-lo, imóvel esse que poderia oferecer para ela uma nova e linda história.  

Um dia depois das visitas, a compradora decidiu realizar uma proposta no apartamento de Perdizes, que após a negociação de alguns pontos, foi aceita pela vendedora. No dia da assinatura da promessa de compra e venda, a compradora, após todas as dificuldades dessa jornada, assinou o documento e, chorando, abraçou e agradeceu a especialista da EmCasa.

No fim, o imóvel escolhido pela compradora era R$70.000 mais barato que o primeiro imóvel, e muito mais acolhedor. Histórias como essa mostram que independente do valor, a missão da EmCasa é escutar, entender, e ajudar os clientes a acharem o imóvel ideal para eles. Precisa de ajuda para achar o imóvel ideal? Conte com a gente!

Onde você quer morar?

Conheça nossas casas e apartamentos à venda no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Encontrar imóveis